domingo, junho 21, 2009

"A Rainha de Sabá" de Marek Halter

Halter, Marek, A Rainha de Sabá (La Reine de Saba), Bizâncio, Tradução de António Carlos Carvalho, 2009.

Os acontecimentos reais e míticos que rodeiam a figura da Rainha de Sabá, preenchem esta obra de Marek Halter, um romance biográfico sobre uma mulher de carácter forte e capacidade de liderança irreprimível num mundo dominado pelos homens.

Makêda, Rainha de Sabá, desde cedo demonstra inclinação política para enfrentar os inimigos do Reino de forma implacável e corajosa. Contudo, a par desta ferocidade cruel dirigida aos usurpadores da união construída pelo pai, Makêda revela-se possuidora de uma predisposição humana que comove os seus mais próximos conselheiros e o povo do seu Reino.

Conhecemos, assim, a menina antes de se tornar mulher e Rainha e acompanhamos essa transição natural operada para que, chegado o momento da subida ao trono de Sabá, tal responsabilidade fosse encarada como a continuidade dos preceitos que sempre haviam regido a educação da futura Rainha e o governo do Reino que herdara por morte do pai.

A perseguição e extermínio dos assassinos do Rei comandam a vida de Makêda nos primeiros tempos do seu reinado, mas uma vez saciada essa sede de vingança e estabilizada a vida conturbada do Reino com a morte dos agitadores, a Rainha de Sabá dedica-se à consolidação das trocas comerciais já existentes e ao alargamento desses intercâmbios a outros reinos distantes que se dão a conhecer como foi o caso do Reino de Judá e Israel, governado pelo Rei Salomão, que envia uma delegação para contactos comerciais a Sabá.
Os mensageiros de Salomão exaltam as qualidades humanas e políticas do seu soberano e Makêda sente-se impelida a retribuir a visita indo a Jerusalém pessoalmente para conhecer esse Rei tão sábio e sensível, com um carácter tão contrário aos costumes por vezes selváticos que imperavam à época.

Esta viagem ao mundo de Makêda, Rainha de Sabá, é também um encontro entre uma mulher e um homem e os mundos distantes e próximos que habitam, dois soberanos unidos debaixo do mesmo céu de inteligência e amor.

2 comentários:

Ana Paula disse...

Olá, Carla! :)

É a minha vez de te entregar um prémio, o Lemniscata. Está no meu blogue Fio de Ariadne.

É mais do que merecido, no caso do À Margem, tendo em conta o excelente trabalho que aqui fazes, desde há muito tempo!

Um beijinho grande

Ana Paula

Homem do Leme disse...

Tens um prémio no meu blogue.