domingo, fevereiro 08, 2009

"Os Livros que Não Escrevi" de George Steiner

Steiner, George, Os Livros que Não Escrevi (My Unwritten Books), Gradiva, Tradução de Miguel Serras Pereira, 2008.

“Os Livros que Não Escrevi” é um conjunto de sete ensaios interligados por um fio condutor comum: O facto de tratarem temas que George Steiner gostaria de ter transposto para livro e que, por um motivo ou outro, não galgaram as margens da mera ideia.

É com um nível de erudição intimidante que o autor nos transporta para os universos de cultura, política, relações humanas, amor aos animais, admiração por mentes brilhantes e estado da educação que almejou tratar em obras ensaísticas que nunca foram executadas.
O tom ensaístico assume por vezes roupagens mais primaveris, empurrando o leitor para uma abordagem narrativa de descoberta de histórias pessoais e colectivas que enchem a alma de quem lê com cores, cidades, livros, autores, conflitos e circunstâncias da vida comum. Ocorre um reconhecimento, uma identificação entre as preocupações manifestadas pelo Professor Steiner e as que também afligem os seus leitores.

A linguagem utilizada, mas sobretudo as inúmeras referências culturais a que alude nos textos apresentados tornam esta obra uma leitura sensível. E sensível em que medida? Para a ler é necessária uma disponibilidade de espírito elevada, altos níveis de concentração, uma dedicação e atenção ao que se lê acima da média, uma enorme capacidade de captação dos enunciados descritos e um grau de assimilação colossal. Parece a receita para qualquer boa leitura que se preze mas, na verdade, George Steiner obriga-nos a obedecer a estas regras de forma absolutamente integral, até radical, diria.

Apesar de se poder considerar uma obra mais “ligeira” de Steiner, há que reter que o autor não consegue desprender-se daquilo que é, daquilo que pratica e postula: Um Ser profundamente consciente da sua sapiência embora não a apresente de forma descabida ou caudalosa mas sim inserida num contexto pleno de sentido.

7 comentários:

Joana Pinto disse...

Este livro está na minha wishlist.Sempre gostei de ensaios e Steiner é um mestre da palavra.

Isabel Maia disse...

Este blog foi distinguido com um prémio. Para mais detalhes, passe no meu para ver.

Boas leituras :)

Carla Milhazes Gomes disse...

Joana: É uma obra de grande interesse e para quem gosta de George Steiner é uma delícia:)

Carla Milhazes Gomes disse...

Isabel: Agradeço-te a distinção, muito obrigada:)

Ana Paula disse...

Um livro interessantíssimo! Tenho grande admiração pelo George Steiner.

Grande leitura!

Bom domingo, Carla :)

Carla Milhazes Gomes disse...

Ana: Foi sem dúvida uma grande leitura, saboreei cada palavra, cada ideia com a reverência que devemos apenas aos Mestres:)

Beijinhos e bom fim-de-semana!

Anónimo disse...

Texto digestiva neste blog, opiniôes como aqui vemos emotivam aos que visitar neste sítio .....
Dá muito mais do teu espaço, a todos os teus leitores.